Escritores famosos e seus cães

Blog de maniadesersempremylla :Mania de ser sempre Mylla, Escritores famosos e seus cães

“Os cães são o nosso elo com o paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz.“ (Milan Kundera) C. S. Lewis, nos primeiros anos de sua vida, foi profundamente marcado por seu cachorro, Jacksie, que foi atropelado quando Lewis tinha apenas quatro anos.

Conta-se que a partir desse momento o escritor passou a chamar-se pelo nome do cão e se recusava até mesmo responder se alguém lhe chamasse por outro nome que não fosse Jack. Não pense você que somente os felinos fazem sucesso entre os escritores.

Claro que existem aqueles que jogam nos dois times, como William Faulkner e Stephen King, que tiveram tanto cães como gatos, mas muitos escritores como Dostoiévski, Charles Dickens, Sir Walter Scott, Alexander Pope, Lord Byron, Jorge Amado e Clarice Lispector também tiveram uma relação de afeto e carinho com este que é considerado o melhor amigo do homem.

Também são inúmeros os livros e poemas feitos para homenagear este companheiro fiel e amigo. Ter um cachorro em casa não é somente garantia de bons momentos de diversão. Essas adoráveis criaturas também enchem a nossa vida de muita ternura e alegria. Conheça alguns escritores que tinham o cão como seu animal de companhia.

terça 21 agosto 2012 13:57 , em Animais na sociedade


Cães e Gatos são muito mais que animaizinhos de estimação

Todo mundo sabe que o cão é o melhor amigo do homem, no entanto, nunca ficou tão em evidência que esses animais podem fazer coisas nunca antes imaginadas. A própria mídia revela essa proeza.

Os cães do canil do Corpo de Bombeiros do Ipiranga, por exemplo, são considerados heróis após salvarem várias vidas nas recentes tragédias que vêm acontecendo. O bom faro e a disciplina fazem com que encontrem desde brinquedos até mesmo uma vítima de acidente.

Hoje, a corporação possui 12 cães das raças pastor belga de malinois, labrador, pastor alemão, golden retriever e border colie. Desse total, apenas três são machos, já que as fêmeas não têm o hábito de marcar território.

A cadela Jade, da raça pastor belga de malinois, já tem um bom currículo. Desde os noves meses ela já trabalhava nos deslizamentos que aconteceram no Estado de Santa Catarina, além de estar presente na explosão de uma loja de fogos de artifício em Santo André e também nos deslizamentos em Mauá.

“Esses animais são verdadeiros heróis e devem ser valorizados pela sociedade, pois desenvolvem esse trabalho com dedicação e disciplina“, declara a médica veterinária e tutora do Portal Educação, Danielle Pereira.

Além dos cães, vale ressaltar que os donos também passam por treinamentos e realizam curso de cinotecnia na Polícia Militar. Lá, aprendem como tratar, adestrar e lidar com o comportamento e também doenças dos cães.

Fonte: PantanalNews

terça 21 agosto 2012 13:51 , em Animais na sociedade


O combate as pulgas requer persistência e, até, criatividade!

Blog de maniadesersempremylla :Mania de ser sempre Mylla, O combate as pulgas requer persistência e, até, criatividade!

A reprodução das pulgas é espantosa. Por exemplo, com apenas dois casais de pulgas adultas colocadas num animal pelo período de 90 dias, ao final, já haverá mais de 2.500 formas jovens no ambiente (ovos, larvas e casulos) e mais de 450 pulgas adultas alimentando-se a um só tempo e liberando novas pulgas adultas, certamente ocorrerão novos surtos repentivos e aparentemente sem causa. As fases do ovo e larva tem pequenas variações de tempo, porém, na fase de casulo, o animal poderá se manter protegido por até um ano.

Quando você trata o animal para matar as pulgas adultas, controla-se apenas 5% de problema, porque 95% das pulgas estão no ambiente nas formas de ovo, larva e casulo.

O combate às pulgas é mais fácil quando os níveis de infestação no animal são baixos. Lembre-se que para cada pulga no animal, existem dezenas de descendentes em suas várias formas no ambiente. Por isso, é importante que o proprietário do animal esteja atento e combata as pulgas antes de a situação tornar-se crítica. Os ovos e larvas infectantes permanecem livres principalmente nos ambientes úmidos e sombreados.

A desinfestação criteriosa no animal deve estar aliada à medidas drásticas de desinfecção ambiental. Existem, no mercado, alguns inseticidas eficazes, porém, deve-se tomar cuidado, pois normalmente trata-se de produtos tóxicos, que podem comprometer a saúde do animal e da família. Existem produtos para uso externo e interno. Porém, deve-se levar em consideração quatro fatores: eficácia; duração do efeito, ou seja, quanto tempo age o produto; segurança, cuidados ao aplica-lo, uma vez que pode causar intoxicação; praticidade que o produto oferece.

As pulgas em forma de pupa são resistentes aos inseticidas geralmente aplicados, por isso é importante, mesmo após o desaparecimento das formas adultas, continuar a tratar o hospedeiro e o ambiente periodicamente.

A temperatura baixa destrói um grande número de pulgas nas fases de ovos e larvas. No verão, com as condições ideais de temperatura e umidade, nessas fases elas morreriam no inverno, passam a se desenvolver até chegar à pulgas adultas.

Criatividade : A necessidade nos estimula a criatividade. Desta forma, por causa de uma profunda alergia que os inseticidas causaram na minha querida cocker spaniel, a Tanny, acabei descobrindo uma forma prática de eliminá-las: coloquei talco antipulgas no saco de aspirador de pó e aspirando todo o corpo do animal, pode parecer incrível, mas não fica uma pulga. Infelizmente este método não resolve o problema, mas ameniza nos cães que são muito alérgicos.

Fonte: Pet Rede

terça 21 agosto 2012 13:47 , em Sáude animal


6 Alimentos que não devem ser ingeridos por cães e gatos

Todo o cuidado é pouco na hora de variar o cardápio do seu animal de estimação. Existem algumas comidas que podem causar um tremendo mal-estar para o bichinho e que devem ser evitadas. Saiba quais são:

1. Chocolate: a grande vilã aqui é a teobromina. Presente principalmente nos chocolates amargos, essa substância age como estimulante e chega a causar extrema excitação nos animais. “Como o organismo de cães e gatos demora muito tempo para se livrar dela, eles podem apresentar taquicardia, hiperatividade, tremores e convulsões“, explica o zootecnica Flávia Borges Saad.

2. Abacate: a persina, substância encontrada na polpa, na casca e no caroço do abacate, é a culpada por intoxicar os animais que abusam do alimento. Vômito, diarreia, lesões gastrointestinais e até necrose nas fibras do miocárdio, o músculo do coração, são algumas das consequências do exagero.

3. Cebola e alho:eles contêm alicina, que, em felinos e cachorros, pode perpetrar um tipo de anemia conhecido como hemolítica. Trata-se da destruição dos glóbulos vermelhos, os encarregados pelo transporte de oxigênio no sangue. “A intoxicação aparece gradativamente e, para isso, é necessário que o animal consuma uma grande quantidade de cebola ou de alho crus“, lembra a veterinária Christine Martins.

4. Ossos: muita gente imagina que os ossos são o petisco canino ideal. Um alerta da FDA, agência que regulamenta o consumo de remédios e alimentos nos Estados Unidos, contraria esse senso comum. Segundo a entidade, não se deve oferecê-los em nenhuma hipótese aos cachorros. “Ao serem mastigados, os ossos, principalmente os cozidos, podem lascar e formar pontas, causando lacerações na boca e no esôfago, quebra de dentes, além de aumentar o risco de infecções bacterianas e obstruções intestinais“, explica Christine.

5. Peixe cru: alimentar cães e gatos com pescados crus nunca é uma boa ideia. Algumas espécies de peixe, sobretudo a tilápia, armazenam doses generosas de avidina e tiaminase. Esse dueto impede a absorção de algumas vitaminas do complexo B, como a biotina e a tiamina. “A deficiência delas está ligada a problemas neurológicos“, exemplifica Flávia.

6. Leite: trocar o leite da cadela pelo da vaca é péssimo para a saúde dos filhotes. É que o leite canino possui mais proteínas, gorduras, cálcio e fósforo do que o bovino. O bichinho comeu. O que fazer? Algumas horas após o cachorro ou o gato ingerirem algum alimento inadequado, logo bate aquele mal-estar. Ao observar sinais de irritação, transtornos gástricos, alterações do ritmo cardíaco e respiratório, o bicho de estimação deve ser levado rapidamente ao veterinário. “É muito comum que, ao constatarem a ocorrência de intoxicação, os donos ofereçam leite, o que só piora a situação“, avisa Christine. O melhor mesmo seria estimular o animal a beber bastante água e não provocar o vômito.

Fonte: MdeMulher

terça 21 agosto 2012 13:43 , em Sáude animal


Os animais são bons amigos, não fazem perguntas e tampouco criticam.

Blog de maniadesersempremylla :Mania de ser sempre Mylla, Os animais são bons amigos, não fazem perguntas e tampouco criticam.

terça 21 agosto 2012 13:36 , em Animais na sociedade


|

Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para maniadesersempremylla

Precisa estar conectado para adicionar maniadesersempremylla para os seus amigos

 
Criar um blog